Alguns feedbacks que recebi via WhatsApp. É gratificante trabalhar com o que ama, mais gratificante ainda é receber todo esse carinho em forma de clientes. Vale a pena todo o esforço! : )

Olha só que lindo essa galera toda de verdinho! Camisa e medalha feitas com muito carinho para a corrida “Eu corro por um prêmio melhor”, que aconteceu na Quinta da Boa Vista!

A Rose e o Jefferson se conheceram, namoraram e noivaram na FIOCRUZ, Rio de Janeiro. E para a papelaria do casamento, o castelo onde tudo começou teve um lugar de destaque no monograma do casal! É ou não é um verdadeiro conto de fadas? <3

Todos anos a Juventude da Igreja Batista do Meier promove um Congresso. São 3 dias que contam com participações especiais, muita música e reflexões acerca de temas que envolvem o universo jovem, a sociedade e o estilo de vida cristão.

Em 2016, o tema escolhido foi: “Convocados para o Reino”. Toda a identidade visual foi inspirada na série Game of Thrones. Na estampa da camisa não foi diferente, a frase “Winter is coming”, muito famosa na série, foi adaptada para “God’s Kingdom is coming”.

Para quem não conhece, a série Game of Thrones narra uma história que se passa em um contexto de monarquia, reinos e tronos. Dentro dessa temática, foram usados os mesmos elementos da série como analogia ao Reino de Deus. Essa releitura deu super certo, o congresso já passou, mas a camisa virou moda!

{ Greenery: A cor de 2017 }

Greenery é um verde amarelado que evoca os primeiros dias da primavera, quando a natureza se renova. Por isso, ele traz o simbolismo de recomeço e de otimismo.
“Enquanto as cores de 2016, Rose Quartz e Azul Serenity expressavam a busca por paz em um mundo caótico, em 2017, Greenery traz a segurança e a esperança que precisamos em tempos de um ambiente social e político tumultuado. Satisfazendo nosso desejo crescente por rejuvenescer e revitalizar, a cor simboliza a reconexão que buscamos com a natureza, com as outras pessoas e com um propósito maior”, explica Leatrice Eiseman, diretira executiva do Pantone Color Institute.

Quando o monograma sai do papel e vira um topo de bolo lindo, desses que a gente só vê no Pinterest! <3
Trabalho feito em parceria com a empresa 2wed, o resultado é esse: um topo de bolo único, criativo e com a identidade visual do seu casamento!

Veja mais fotos aqui:
http://2wed.com.br/casamento-no-campo-topo-de-bolo-personalizado/

Que delícia receber esse feedback!! Obrigada, Paula! <3

A Paula Lins é Fonoaudióloga, Terapeuta e Diretora da
“Interagindo – Espaço do Desenvolvimento”. Empresa referência na área de Autismo Infantil.

Gratidão por fazer parte da história de vocês!

Saiba mais em:
facebook.com/interagindorj
http://interagindo.org

{ Como seria sua vida sem designers e marcas? }

Você já imaginou como seria um mundo sem marcas? Tente se colocar no lugar de um consumidor em uma visita ao supermercado onde todos os produtos teriam a mesma embalagem, digamos branca. Como escolher um em detrimento a outro? Como diferenciar o melhor? Assim seria o mundo sem marcas. Sem cor, sem brilho, sem graça.

Do seu par de meias ao último modelo de dispositivo tecnológico, passando por absolutamente tudo o que consumimos, as marcas estão presentes para atrair nossa atenção e conquistar nossa fidelidade. Por elas, muitas vezes fazemos loucuras a ponto de passarmos dias na fila de espera para comprar um simples aparelho celular.

Porém, poucas pessoas se dedicaram a imaginar como seria um mundo sem marcas. Tente se colocar no lugar de um consumidor em uma visita ao supermercado. Nele, todos os produtos teriam a mesma embalagem, digamos branca. A única indicação seria o nome do produto que ela contém. Os únicos diferenciais seriam o tamanho para vários pesos e volumes, ou o formato: em caixas, potes, tubos ou garrafas.

Com todos os produtos da prateleira possuindo a mesma aparência, como é que o consumidor poderia exercer seu direito de escolha? Sem marcas, não haveria reconhecimento das diferenças entre os produtos, e portanto não existiria lealdade às marcas. E quando não há lealdade, a participação da sua empresa no mercado se tornaria apenas uma questão de probabilidade. E sendo assim, não haveria por que as empresas investirem mais para melhorar ou mesmo manter a qualidade de seus produtos. Não haveria, portanto, concorrência. E sem concorrência, não haveria negócio, não haveria indústria, não haveria economia.

Fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/como-seria-a-vida-sem-marcas/82432/

Quem tem acompanhado as muitas matérias referentes a inauguração do MAR – Museu de Artes do Rio de Janeiro -, deve ter reparado em uma instalação chamada de “Morrinho”, uma miniatura de uma favela feita por uns garotos. Esta obra, uma réplica da favela Pereira da Silva, localizada no final da rua Pereira da Silva, em Laranjeiras, começou a ser construída em 1977, quando a família do garoto Nelcilan Souza Oliveira saiu de Campos para morar naquela comunidade e assustado com o ambiente encontrado e por recomendação de sua mãe o garoto ficava brincando sozinho no quintal de casa. Aos poucos, outros meninos foram surgindo e assim, começaram a construir modelos e o ambiente das casas vizinhas.
O projeto Morrinho faz parte da exposição com tema “O abrigo e o terreno” – arte e sociedade no Brasil. Além desta exposição o MAR está com outras três exposições intituladas “Vontade Construtiva, “O colecionador” e “Rio de imagens”.

O MAR _ Museu de Arte do Rio – está aberto ao público co visitação de terça a sexta, das 10 às 17horas, assim como aos sábados, domingos e feriados.

Para conferir o logotipo e a identidade visual que foi feita para o Projeto, acesse:
www.tamirisvasconcellos.com e clique em "Projeto Morrinho”

{ Pantone anuncia as cores de 2016: Rose Quartz e Serenity }

A Pantone anunciou que, pela primeira vez, escolheu duas cores – e não uma – como a ‘cor do ano’. Rose Quartz (Pantone 13-1520) e Serenity (Pantone 15-3919) são as cores de 2016.
A empresa norte-americana é mundialmente famosa por seu sistema numérico de escala de cores e, desde 2000, divulga a cor do ano – que acaba se tornando referência para a indústria da moda e designers do mundo todo.
“Juntas, Rose Quartz e Serenity demonstram um equilíbrio inerente entre um rosa quente acolhedor e um azul mais suave, refletindo uma coneção e bem estar bem como uma senso de ordem e paz”, afirma a Pantone.
No ano passado, a cor eleita pela Pantone como a cor de de 2015 foi Marsala, um vinho marrom avermelhado e naturalmente robusto.
Quando surgiu, a Pantone fabricava cartões de cores para a indústria de cosméticos, mas uma inovação fez com que a empresa revolucionasse o mercado das cores e se tornasse mundialmente conhecida. O sistema numérico, que ficou conhecido como escala Pantone, permitiu identificar cada cor sem esbarrar na subjetividade de criadores, fabricantes, revendedores e consumidores.

Eu adorei!